Bacafá

Bacafá

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Perguntas da noite.

O que é considerado honesto e virtuoso pela sociedade pode ser considerado anti-ético ou imoral pela consciência individual?


Pode, a ética, variar no tempo?

22 comentários:

Kauana disse...

Sinceramente não saberia dizer... Acredito que "minha moral", minha consciência individual em muitos aspectos se assemelha ao que a sociedade entende ser ético, honesto, até mesmo digno.
Entretanto, quando analiso por outra ótica, percebo que por diversas vezes acabo por não "condenar" intimamente determinadas condutas geralmente condenadas socialmente... Eu, diante da sociedade de forma geral, me enxergo mais compreensiva, talvez menos convervadora. Talvez seja simplesmente por aceitar que: Se eu não sou perfeita, se eu erro, se eu minto, se eu tenho muitas vezes desejos imorais... porque todos não podem?

Carlos disse...

1a. - Depende. Que tipo de sociedade está falando? Aquela que acha que o dinheiro comprar tudo e todos? Aquela que substitui por satisfazer todas as vontades do(a) filho(a) com dinheiro ao invés de um calor humano, um carinho paterno/materno, uma simples partida de futebol com o seu filho, um almoço familiar, entre outros? A sociedade que está dizendo é aquela que somente as aparências que importam? Onde a capacidade intelectual não tem a mínima importância, apenas a vestimenta, o celular (último modelo) e o carro importado? Aonde há um grande jogo de interesses, e de que o QI (quem indica) é o que importa. Caráter!!!!! Pra quê? Sob esse ângulo a resposta seria sim.
Agora, se estamos falando em sociedade, com a verdadeira acepção da palavra, a resposta é não.
2a. - Depende. Para uns sim e para outros não. Para mim é não. Com o passar dos anos o ser humano forma (constrói) seus conceitos, seus princípios, seus valores, e mesmo remando muitas vezes contra a maré, a ética jamais varia com o tempo.

Jaque disse...

Acredito que, o que é bom para você, pode não ser bom para mim. O mesmo ocorre com o certo e errado. Com a moral e a imoralidade. Muita coisa depende da criação, que recebemos em nossas casas.
Acredito estar na mesma linha de pensamento que a sociedade quanto ao que vem a ser moral e honesto. Mas também não concordo com o que muitos acreditam ser imoral ou antiético.
Um exemplo que posso citar e que acontece em minha família é o “dar tudo que se pede”. Ok, não sou mãe ainda, mas sou contra a publicidade infantil, assim como o professor. Já tenho uma pessoa da minha família que não se opõe a esta questão e que faz questão, por mais que tenha que abrir mão de certas coisas que realmente são necessárias, para satisfazer o desejo de seu filho. Para ela, a propaganda não é um “problema”, eu já não concordo.

Ítalo Demarchi disse...

Sim, a nossa própria discussão ontem a noite na aula do professor demonstrou e destacou muito bem isso, pessoas que por princípios enrraizados desde criança, ou até mesmo religiosos, não admitem e acham imoral algo que para outras pessoas é completamente normal e honesto, e essas ultimas pessoas, agora respondendo a segunda pergunta, muitas vezes "abriram mão" de certa forma, sobre um posiocionamento ao longo dos tempos. Um exemplo de que a ética pode variar em tempos, é a mulher que antigamente casava virgem ou na hipótese de engravidar teria que casar, no entanto, tais acontecimentos nos dias atuais são cada vez mais relevantes e a "imoralidade" que eles tinham a tempos atrás hoje em dia perderam seus efeitos, tendo em vista que apenas uma minoria ainda considera tais exemplos imorais, ou anti éticos, concluo portanto que as pessoas evoluem ao longo dos tempos e muitos mudam suas opiniões, acerca de algum assunto, pois o mundo muda com o pensamento das pessoas, para alguns positivamente e para outros negativamente.

Sandro! disse...

Sim pode, pois cada ser humano tem reações e pontos de vista diferentes uns dos outros, sendo assim é normal na minha opinião um individuo discordar do entendimento de uma coletividade..
Com relação a ética variar no tempo, .perfeitamente normal, pois a sociedade vive em constante transformação, pensamentos e posições a respeito de algo podem mudar ou mesmo serem reafirmados em nossa consciência

Moacir César Souza disse...

A consciência individual geralmente é moldada nas bases da sociedade em que é formada. Porém, nem sempre o indivíduo acompanha as “verdades” desta mesma sociedade, passando a compreendê-las, e o mais importante, a raciocinar sobre elas, e muitas vezes discordando em alguns aspectos que lhe tocam o íntimo, fatos, decisões e conceitos que seu pensamento não comporta como sendo os mais viáveis. Pode ser filho de uma sociedade, mas não concordar com algumas coisas que nasceu aprendendo como certo, e decidiu modificar, mesmo que apenas em seu pensar. E provavelmente, da consciência individual que discorda de um pensamento social, é que temos a evolução de conceitos, e as mudanças de opinião quanto ao certo e errado.

andrielandrade disse...

Talvez esteja eu sendo repetitivo mais concordo em partes com os comentários já feitos.
Levando em consideração o que vimos em sala de aula penso que não somos robôs, e temos como seres pensantes opiniões diferentes, tornando normal que os conceitos particulares entrem em conflito com a coletividade e já engajando a segunda pergunta também mudamos nossa própria opinião ao decorrer do tempo. Vejo que o costumes ou a rotina leva o ser humano a por exemplo não mais se chocar a ver senas de brutalidade, ou a um profissional médico a não ter um sentimento de “pena” ou compaixão ao lidar com um ferimento grave. Concluo que o ser humano tem seus conceitos e princípios mais que ao passar do tempo com o costume de determinas ações muda a opinião individual e consequentemente a coletiva (como exemplo, muito bem colocou nosso amigo Ítalo o caso da virgindade para a mulher).

Ady Denker disse...

Tudo depende de cada cultura, podemos dizer que o que é ético pra ti pode não ser pra mim, então devemos respeitar cada principio de sua índole, religião , tempo e espaço.Penso que a sociedade deveria refletir mas sobre o assunto, inclusive os políticos. Até maiss..

Valdir disse...

Com certeza, porque a vivencia de cada um, trás para si ou para o grupo em que vive, um conceito de ética e portanto o que é ético para um sociedade em geral, não precisa ser ético pra mim. E acho que a ética muda no passar do tempo justamente pelas vivencias que cada ser humano tem, essa mudança pode ser para melhor ou pior dependendo dos princípios de cada pessoa.

Marlice Keller Mantau disse...

Quanto a primeira pergunta diria que sim, uma vez que cada individuo pensa de uma forma, mesmo que não exteriorizemos nossos pensamentos, sabemos que há muitas divergencias sobre o que seje certo ou errado, moral ou imoral, ético ou anti-ético.
Quanto a segunda questão, acredito que o que varia, são os nossos conceitos sobre o que seje moral/ imoral, e em cima disso fomamos o nosso respeito, convicção; como já dizia Miguel Reale, tanto a moral quanto a ética provém do costume, indicando-nos condutas a serem seguidas.

Scharlene Chiodini disse...

Sim, em muitas situações que a sociedade considera anti-ético ou imoral em nossa consciência muitas vezes não é, pois depende muito da cultura e do lugar onde a pessoa vive.
A consciência moral, está ligada ao senso moral e ambos dizem respeito a valores, sentimentos, intenções e ações referidas ao bem, ao mal e ao desejo de felicidade, sentimentos e ações que estão intrínsecas às relações que temos com o outro, portanto fazem parte da nossa vida.
É evidente que, cada pessoa dê valor para algo que relacione a sua vida, a sua convivência perante a sociedade, cada um defenderá sua cultura seu pensamento, ficando assim muitas vezes prejudicado o que a sociedade diz ser "anti-ético" ou "imoral" na consciência individual.

Daniela disse...

A ética como se trata de uma construção humana, pode sim ao longo de tempo ter suas variações e evoluções ou mesmo involuções, dependendo do olhar do indivíduo.

O indivíduo em questão vive na sociedade e tem valores parecidos com os outros à sua volta, e este olhar ao longo do tempo pode mudar.

A única certeza que há é na sociedade ocorrem mudanças, não há estagnação, e estas mudanças serão por nós consideradas melhores ou piores, dependendo do estímulo que recebemos durante toda nossa vida.

Bruna Gabriela Peixer disse...

Acredito que, primeiramente, a nossa consciência sobre o que é ético e o que é moral é influenciada diretamente pelo entendimento da sociedade em que fomos criados.

Mas isso não impede que talvez, conhecendo a opinião de uma sociedade com uma cultura diferente, eu adquira uma visão contrária a da sociedade em que fui criada.

Por exemplo, se eu fui criada na China, posso achar normal me alimentar de um cachorro, porque essa é uma realidade comum aos meus olhos. Eu cresci vendo pessoas fazerem isso.
Porém, em um contato com uma sociedade que possui uma cultura diferente e vê como sendo um absurdo o ato de se alimentar deste animal em especial, minha consciência pode ser alterada.

Assim, entendo que até é possível que minha consciência individual considere imoral ou anti-ético algo considerado honesto e virtuoso pela sociedade em que vivo, mas mesmo assim, para isso acontecer, minha consciência vai ter sofrido influência da consciência moral de uma outra sociedade.

Pablo disse...

Talvez, Pois o procedimento ético é ao mesmo tempo individual e social, pois a pessoa tem que
pensar em conciliar os valores do indivíduo com os da sociedade, pois sua reflexão deve ser
imparcial e justa, até por que os princípios de honestidade não nos obrigam a gostar de ninguém,
apenas a respeitar ou tolerar.

Marciele Bartel disse...

Toda cultura e cada sociedade institui uma moral, porém, é normal que as pessoas tenham pontos de vista diferentes.

Muitas vezes se confunde valores morais com fatos constatáveis da vida cotidiana, ignora-se as causas ou razões por que são valorizadas certas coisas, certas pessoas ou certas ações e desprezadas outras.

Ismael disse...

Boa tarde Professor!
Concordo com meus colegas sobre os questionamentos, pelo simples fato que vivemos em uma sociedade que possui liberdade de pensamentos e opiniões, e sendo assim, o indivíduo pode ter sim, opiniões diversas da coletividade.
Já em relação a 2ª questão, vejo que, não só pode variar, como deve, visto que a sociedade evolui com o passar do tempo, e toda evolução requer atualizações.

AGNES disse...

Boa Tarde Professor, Parabens pelo dia do Advogado.

Para mim, Ética é uma característica de cada ação humana e, por esta razão, é um elemento na realidade social. Todo ser humano possui um senso ético, uma espécie de "consciência moral", estando constantemente avaliando e julgando suas ações para saber se são boas ou más, certas ou erradas, justas ou injustas. Essas classificações sempre têm relação com as matrizes culturais que prevalecem em determinadas sociedades e em sua história.

Agnes F. de Azevedo

André Piske disse...

Acredito que sim, pois apesar de todos nos vivermos em sociedade, e sofrermos influências desta, temos cada um sua consciência, e sua aceitação do que é certo ou errado, do que é moral ou imoral, ético ou anti-ético.
E do mesmo modo que hoje uma sociedade ou um individuo que nela vive, acha imoral ou anti-ético determinada situação ou fato, pode vir a mudar de opinião com o passar dos anos, pois vivemos em constantes transformações. Nada no mundo permanece estagnado, principalmente a linha moral e ética.

Silvana Carina Fritzen disse...

Boa Noite!

No tocante a primeira pergunta...
Há uma diversidade de valores presentes na sociedade e isso me remete a idéia de que cada um pensa e age diferente do outro. Todos temos nossos próprios valores morais e éticos e eu vejo isso da seguinte forma: o que é correto para determinada pessoa, pode ser errado para outra. Vivemos em uma sociedade onde cada indivíduo é livre para eleger os valores que bem entender e por vezes podem ser diversos da coletividade.

Quanto a ética variar no tempo, eu penso que pode sim e nas circunstâncias também. A sociedade em geral vive constante mudança e o que era anti-ético ou imoral há um tempo atrás, hoje pode já não ser mais. Exemplos acima citados pelos colegas demonstram isso. As pessoas podem mudar seus conceitos com o passar do tempo.

sheila_varella disse...

Acredito que a ética pode variar não só no tempo, como na concepção de cada indivíduo. Se olharmos à nossa volta veremos constantes diferenças sociais e culturais. Um exemplo a ser citado é algo que a “igreja” considera imoral e parte da sociedade não, como a pílula anticoncepcional. Vivemos numa época em que tudo deve ser regrado, apesar de termos livre arbítrio, a todo tempo está se criando algo novo me dizendo o que posso ou não fazer, logo algumas dessas regras podem ter grande valia para a sociedade, já outras, no meu ponto de vista são meras questões políticas, religiosas que nem sempre podem ser consideradas questões de ética.

Mirian disse...

Entendo que a questão é cultural e moral. Depende do lado em que o indivíduo se encontra. Nem sempre o que é honesto e vituroso para uns seja o mesmo para a coletividade. Faz-se necessário buscar o entednimento e a compreensão dos motivos, razões e necessidades que envolvem o núcleo.
Vivemos em uma socidade de constantes trasnformações, mas ética é ética, e mesmo que o tempo passe,esta não deve parar no tempo. Sofre por constantes aprimorações o que faz com que varie no tempo, mas jamais em sentido retrogrado aos valores éticos e morais.

Piske disse...

Sendo a ética algo que está intrinsicamente ligada a moral, entendo que sim, podemos ter um pensamento diferente do que é considerado ético pela sociedade em geral. Cada indivíduo pensa de uma forma diferente, sendo assim, essas diferenças de pensamento fazem, muitas vezes, alguém pensar de maneira diversa do pensamento geral, da sociedade.
Quanto a variação da ética no tempo, novamente a resposta é positiva, e vai de encontro ao que lemos na página 29 do texto de Eduardo Bittar, que afirma que "a ética de outros tempos não é a mesma de hoje." Penso da mesma forma e o texto citado vem de encontro com o que tinha em mente! A ética muda, na minha opinião... e de muitos mais. Abraços, Piske