Bacafá

Bacafá

sexta-feira, 26 de março de 2010

Mais uma vez...

Mais uma vez um cidadão crucificado pela mídia e, consequentemente, pela população é absolvido de um suposto crime hediondo. É o caso do pedreiro Oscar Rosário, acusado pela morte da pequena Gabrielli Cristina, em Joinville.

Depois de cumprir três anos de prisão, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina o absolveu por falta de provas. Tudo indica, conforme entrevista dada pela Desembargadora Salete Sommariva, que tudo isso não passou de um acidente fatal sofrido pela menina naquela espécie de piscina na igreja, onde foi encontrada. Não havia qualquer indício de crime sexual, pelo qual ele era acusado.

Esse "acidente" simplesmente acabou com a vida do rapaz.

E há responsabilidades pela morte, sim. Afinal, ela estava sob responsabilidade da igreja naquele momento, sendo cuidada, juntamente com outras crianças, por recreadoras (ou algo assim).

Não serviram de lição os emblemáticos casos da Escola Base, do Bar Bodega e tantos outros. O casal Nardoni, independemente da decisão do juri, também está sendo trucidado na mídia. Alguns jornalistas confundem liberdade de expressão com pressa na informação, ou precipitação, ou sensacionalismo.

Um comentário:

diegobayer disse...

Pois é Dr. Rafael, por isso, já em 2007 levantei em minha monografia a inconstitucionalidade de algumas decisões do Jurí Popular, pois não há como dizer que o jurados são imparciais em Juris onde a mídia dá divulgação tão ampla e condena os acusados antes de um julgamento justo.