Bacafá

Bacafá

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Assim fica difícil...

Dando uma navegada na internet na segunda-feira, percebi que estamos mal na foto e com poucas perspectivas de mudança de mentalidade. Motivo? Olha só as matérias mais acessadas no Portal da Folha de São Paulo:

Afinal, realmente é importante saber onde vão trabalhar Faustão e Luciano Hulk, se o abdome do astro é maquiado ou verdadeiro, com quem o tal Jesus vai desfilar e qual o próximo programa que Ronaldo vai participar.
Agora, astro do Crepúsculo, deve ser o que? O sol?? Ou, eventualmente, "o" Lua?

5 comentários:

Anônimo disse...

Caso queira perder de vez a fé na Humanidade, leia os comentários de leitores nos artigos da Folha. ;-)

Agostinho Lopes disse...

Raphael!

Permita-me o "comercial".

Agora estou escrevendo aqui também:

http://umcontoumcanto.blogspot.com/

Não serão posts diários, como no “Salada”, mas atualizarei sempre que minha mente parar para poder traduzir em palavras as minhas vivências e as dos outros.

Abraço!

Alline disse...

Pior é que vi esse Crepúsculo - que não era dos deuses - esses dias. rs

Nada contra as pequenas GRANDES futilidades do dia a dia, mas todos precisam saber também o que anda acontecendo no Congresso e nas adjacências.

Beeeeeeeijo

Darwinn Harnack disse...

É fim de linha meu caro Raphael. Nossa educação está um lixo. Acabo de corrigir uma prova em que o universitário escreveu "sidadão" e que "o boleto tem que vim".

Ninguém mais lê se não for forçado. Já notei que se você pergunta o que significa "democracia" não há resposta, muito menos para "república", ou ainda para "política".

Aí é claro que só sobra Jesus Luz, Faustão e Huck.

Raphael Rocha Lopes disse...

Anônimo, não só na Folha, mas no Terra, e, creio, em muitos sites há comentários terríveis, sejam pela inutilidade, seja pela completa ignorância da língua portuguesa.

Agostinho, fique à vontade. Serei um leitor constante, garanto.

Alline, quase todos precisamos (como vê, me incluo nesse grupo) de um pouco de nonsense ou futilidades. Mas, como vc disse, é imprescindível que não esqueçamos das coisas importantes que nos cercam.

Darwinn, são os dramas dos professores. Também terminei umas correções e apareceram plurais sem "s", "fantazioso", "juíz" e "juizes", entre outras coisas.