Bacafá

Bacafá

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Cousas da vida (ou deus, o vingativo)

Em uma dessas reuniões profissionais onde o advogado deve proteger os interesses de seu cliente, fui surpreendido pelos seguintes comentários: "Deus está vendo tudo", "Que o senhor tenha um bom natal", "Deus vai fazer o senhor pagar tudo em dobro". Para que fique claro, esse "bom natal" desejado tinha o grave e sarcástico tom de ameaça.

Tudo porque eu representava o meu cliente que tinha um crédito referente a uma ação de execução que já tramita há sete anos e cujo devedor, com os bens penhorados, não se conforma de ter que liquidar a dívida. Assim, sua esposa resolveu apelar para o vingativo deus.

Talvez ela tenha razão e eu tenha que cuidar ao atravessar a rua no natal, pois está lá na bíblia. O cidadão parece vingativo mesmo:

Romanos 12:19 "Minha é a vingança; eu recompensarei"

Tessalonicenses 1:8-9 "Como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; Os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder."

Em Mateus 25:46 "E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna."

Essa é a verdadeira vingança terceirizada.

3 comentários:

Janaína Elias Chiaradia disse...

Não vou nem fazer maiores comentários a respeito da minha opinião, pois, já estou cansada de manifestar.
Acredito que para criticar determinadas crenças, é necessário em primeiro lugar, saber do que se está falando e depois interpretar.
Tanto os que acreditam nas religiões ou filosofias desse gênero, como aqueles que não acreditam em nenhuma força divina, devem conhecer a matéria para depois formar suas opiniões.
O problema é que cada um expõe seus comentários fazendo a interpretação que melhor lhe agrada...sabes muito bem disso.

Janaína Elias Chiaradia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patricio disse...

Qualquer "deus" é severo, católico, evangélico, hindu, maçônico e etc... é só você sair da linha que seu respectivo "deus" irá surgir das profundezas dos oceanos, do alto das montanhas, dos templos e das trevas, com toda a sua energia, ele irá se vingar. A razão em algum ponto se contradiz também. "Deus meumque jus" Qual Deus é o ideal? Acredito que não sabemos...