Bacafá

Bacafá

terça-feira, 5 de maio de 2009

Penta tri-campeão.

Desculpas aos leitores pela ausências nesses dias, mas estava no Rio de Janeiro com minha filha. E o Rio de Janeiro continua lindo, o Rio de Janeiro continua sendo, o Rio de Janeiro, fevereiro e março e, agora, maio também, mês da final do Campeonato Carioca.

E estivemos lá, a Gabriela e eu, em pleno Maracanã, templo de alguns dos maiores jogos do futebol brasileiro, vendo o penta tri-campeonato do Flamengo, o time do manto sagrado. A festa é um espetáculo. De verdade, independente das cores do seu time. A torcida não pára um minuto, contagia com a música.
A do Botafogo, tri-vice, também fez bonito quando o time empatou o jogo. Mas rapidamente foi abafada pelas cantorias e hinos do time do urubu.

Apesar do sufoco com o empate (São Bruno salvou o Flamengo de novo, embora, nesse domingo, vários jogadores mereceram destaque), valeu a pena passar a tarde no Mário Filho.

Só que vou falar do espetáculo: tudo tranquilo, sem medo, sem tiros, sem violência, sem nada daquilo que a mídia nos mostra diariamente. Muito policiamento, é verdade. Nenhuma confusão que eu tenha visto. Por sinal, não há venda de bebidas alcoolicas no estádio e nem num considerável perímetro em volta do Maracanã. Acredito que seja medida interessante e que está surtindo efeito. Óbvio, os xingamentos naturais do nervosismo de um jogo de final de campeonato existiram; mas não passou disso. A alteração foi apenas emocional, e não etílica.

De todo modo, o rubro-negro dominou o estádio. Acredito que mais de 80% dos torcedores era flamenguistas. A torcida do Botafogo, apesar de bonita, como disse, não conseguia impor suas músicas. E foi emocionante escutar um estádio praticamente inteiro cantando o hino do Flamengo, as marchas, as gozações pra torcida adversária, os gritos de gol. Pode parecer piegas, mas arrepia, não tem jeito.

O drama não poderia ser maior: a decisão indo para os penaltis. Boca grande da Gabriela que previu o final dramático uma semana antes!

No final, depois dos penaltis, a consagração de um goleiro e a redenção de uma torcida. Por mais que o lado racional me diga que nós, pobres seres mortais e torcedores, não ganhamos nada com isso, há algo inexplicável que nos faz pular como crianças e cantar ao lado de pessoas que nunca vimos antes e se emocionar sem uma razão muito clara.

As fotos ao longo do texto, maioria da Gabriela, dão uma pequena noção do que foi a festa (tem mais no orkut).

Recomendo!! Vale pelo espetáculo!

4 comentários:

Rafa Vasel disse...

Momento único, só indo num jogo desses para saber!!! MENGÃO PENTA TRI CAMPEÃO....

Ah, obrigado pela faixa...rs

Igor Monteiro. disse...

Apesar de ser corinthiano, um clássico desses é de perder o fôlego, rsrs, gostei do seu blog, estou te seguindo, abraços fortes...

jean mafra em minúsculas disse...

PUTA QUE PARIU!!!

puta inveja, raphael!!!

lindo lindo lindo, adorei as fotos!!!

esse ano eu quero o brasileiro!!! (fora cuca!!!)

Anônimo disse...

Ve se a proxima vez convida né... hehehehe.... deve ter sido muito bom mesmo. So de imaginar estar no meio já anima.... Nos ainda iremos.
ARL
:)