Bacafá

Bacafá

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O escritório

Leitura recomendada para esse final de semana:




Nas melhores livrarias.

Uma história surreal


É a história de Jens Sorensen, um dinamarquês que por muitos anos foi revendedor de carros e caminhões da marca Fiat em seu país. Em 1981, a fábrica italiana pediu a Jens que optasse entre manter uma revenda de carros ou uma de caminhão, não as duas, Jens optou por manter a revenda de caminhões, e parou de vender automóveis.Aqui vem o fato surreal, quando Jens parou de vender os automóveis, ele tinha cerca de 200 deles em estoque. Ele não "desovou" o estoque, simplesmente encostou em um canto da revenda, que assumiu a marca dos caminhões Fiat, que é Iveco, até que em 1986, quando ele construiu outro prédio, para a revenda, e simplesmente fechou a antiga com todos os 200 veículos dentro!Ano passado, aos 92 anos, Jens faleceu. Seu filho, Kjeld, "descobriu" então o tesouro que seu pai havia simplesmente ignorado. São pelo menos 200 automóveis, entre usados e zero quilômetros, principalente das marcas Fiat e Lancia. Os carros estão atualmente sendo vendidos por preços que variam entre €600 e €6500. Um detalhe bizarro, na revenda existem vários Fiat 127, zero quilômetros (marcando entre 10 e 30km no odômetro), mas que não podem ser vendidos para uso já que não podem mais ser registrados no departamento de trânsito, por não obedecerem às regras vigentes de emissão de poluentes!

As fotos podem ser vistas no http://www.reginaldodecampinas.com/gallery2/main.php?g2_itemId=55709

Realmente impressionante.

Matéria sugerida por Klaus Franzner.

Pai é condenado a indenizar filha por abandono moral.

Um aposentado de Tubarão deverá pagar indenização de 60 salários-mínimos a filha adolescente. A decisão é do juiz Luiz Fernando Boller, titular da 2ª Vara Cível daquela Comarca, que julgou inusitada ação de indenização por dano moral movida por filha contra o próprio pai, tendo por motivo suposto abandono moral. Segundo os autos, os problemas surgiram após a separação dos pais da jovem, que optou em permanecer sob a guarda de sua mãe. Por conta disso, a garota passou a se sentir desprezada e abandonada pelo genitor, que inclusive tornou pública sua desconfiança sobre tal paternidade. Mais que isso, anunciou que deixaria de pagar pensão alimentícia e que não custearia mais seus estudos – fatos que motivaram o ajuizamento da ação. Na condução da instrução, o juiz Boller determinou a realização de exame de DNA, cujo resultado confirmou os laços sangüíneos entre as partes. Ele julgou procedente o pleito da adolescente. “(Ela) cresceu em meio a desconfiança e disputa, tendo uma infância tumultuada pelos desentendimentos dos pais que tinham o papel fundamental e comum de preservar sua integridade física e moral”, anotou o magistrado, em sua sentença. Para ele, o descumprimento do dever de convivência e participação ativa no desenvolvimento do ser que geraram, preparando-o para vida independente, importou sério prejuízo à personalidade da jovem, que chegou a ser publicamente renegada. O magistrado condenou o pai a pagar à filha indenização por dano moral no valor atualizado de mais de R$ 25 mil, bem como a responsabilidade pelo pagamento das custas processuais e honorários advocatícios de 15%. Da decisão ainda cabe recurso ao TJSC (Ação nº 075.07.003948-2).

Fonte: TJSC - http://www.tj.sc.gov.br/

Particularmente tenho certas ressalvas quanto à indenizações por abandono moral, em especial tratando-se de casos tão delicados quanto os que envolvem lides entre pais e filhos. A tendência, pelo menos no meu entender, de medidas judiciais desta natureza é afastar os genitores de seus descendentes, eis que geralmente importa em potencializar os problemas já existentes.

Ademais, não obstante toda a discussão acerca do dano moral em si - do qual sou defensor, deixe-se claro - neste caso específico - abandono moral - parece-me extremamente complicado avaliar e mensurar uma indenização. É inconteste que os filhos sofrem com o afastamento dos pais. Por outro lado nada garante que os pais que se afastam não sofram da mesma forma.

Entretanto, decisões sobre esta matéria estão começando a aparecer, o que leva a crer que uma discussão mais ampla, em especial no mundo jurídico, é necessária.

No caso específico acima apresentado, merece destaque que o pai não só se afastou de sua filha, como, também, começou a renegá-la, inclusive discutindo publicamente sua paternidade. Essa, sim, entendo razão grave a determinar dano moral, embora não tenha sido o cerne da sentença.

De todo modo, interessente trazer forte conclusão do magistrado julgador:

"Dessa forma, embora não se apresente razoável pleitear
judicialmente o amor paterno, verifica-se que não se pode apenas afastar tal
hipótese, fria e positivamente, uma vez que os efeitos dessa lesão afetam não
só o próprio indivíduo, mas a sociedade como um todo. Trata-se, entendo, de
aplicar o princípio da igualdade."


A matéria é, indiscutivelmente, polêmica.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Quem tem Adoniran não precisa de Zeca

Anúncio publicitário da Cerveja Antarctica de 1974.

Com direito a Adoniran Barbosa como garoto propaganda, no tempo em que ainda não existia a tal "guerra das cervejas" e o que se contratava se cumpria (em outro post conversaremos sobre o caso Zeca Pagodinho, Nova Schin e Brahma - o cara que reinventou a "Lei de Gérson").


video

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Câmara de vereadores homenageia Ponto G




Cada uma que aparece...


A Câmara de Vereadores de Carazinho resolver homenagear uma casa noturna chamada "As Garotas da Gogô" e conhecida popularmente por Ponto G.




Segundo o vereador autor da proposta, Gilnei Gilberto Jarré, do PSDB, as operadoras da casa são pessoas trabalhadoras de sol a sol - aliás, de lua a lua; não querem o mal de ninguém e levaram para Carazinho mais um ponto turístico de inestimável valor, em especial tratando-se "dos momentos de descontração proporcionados aos clientes". Requereu o envio de "congratulações a esta empresa e toda sua equipe de funcionárias que proporcionam momentos de descontração aos clientes".

Acima, para que não digam que menti, o ofício.
A proposição foi aprovada por maioria, com os votos de Gilnei Jarré, do PSDB; Antonio Azir, do PTB; Vilson Paese, do PDT; e Felipe Sálvia, também do PDT, sendo contra os vereadores Adroaldo, Claudio, Jaime e Paulino.
Realmente não deve existir problemas em Carazinho, já que os nobres edis podem perder tempo com estas homenagens. Sem preconceito.

domingo, 19 de outubro de 2008

Campanha anti-tédio

Para começar bem seu dia, sua semana ou seu mês vale a pena ver a velhinha sacana ao som de Simon e Garfunkel:


video

Bacafá - a receita.

Como não poderia deixar de ser, a primeira postagem será sobre o prato que deu título a esse blog: o BACAFÁ.

Vamos à receita, já que muitos não conhecem e outros tantos perguntam:

Ingredientes:

Banana
Carne moída
Farinha de mandioca
Sal, bacon, cebola, alho, azeite e margarina

Modo de Preparo:

Primeiro prepare a carne moída, refogando-a a seu modo, assim como a farofa a seu gosto. Frite as bananas em tiras e coloque-as numa travessa, cobrindo todo o fundo. Em cima das bananas acrescente a carne moída e na última camada a farofa.
Deve ser servido quente.

Muito bom!!

BACAFÁ

Esse blog nasceu da necessidade de me livrar do blog que eu tinha antes por total inoperância do provedor IG, que fazia a minha paciência esgotar depois da trigésima ou quadragésima tentativa de postar alguma coisa.
Responder aos comentários, então, era missão impossível ou fadada ao insucesso. Talvez o McGiver conseguisse ou tivesse mais sorte que eu.
Até eu conseguir colocar esse novo endereço no velho blig, o blog inoperante do ig, provavelmente vários posts já estarão aqui.
Boa sorte para nós, agora.